Lá vida és bella

Tributo as mulheres celtas

Run to me

Para explicar o amor

Livros, uma paixão inexplicável e incomparável

Nem saberia precisar quando me apaixonei pelos livros. Acho que foi na escola primária ao ganhar "o pequeno príncipe" da professora Magda. Lembro que fiquei mostrando o desenho da cobra que engoliu um elefante a toda a família. Meus dois exemplos de leitores tenazes eram meu pai e minha avó. Com eles aprendi a sonhar nas páginas escritas por gente que eu não conheia mas que me transmitia curiosos e surpresos olhares diante de um mundo múltiplo que iria ler pela frente por toda a vida. Já tive que me desfazer de dezenas que comprei ou nas mudancas de casa ou por necessidade de fazer circular o conhecimento . Entretanto ganho muitos sempre. coleciono na cabeceira, em estantes e armários. Pego alguns para reler trechos que nao me saem da memória. Os de pesquisa me ajudaram tanto a dar aulas na universidade por mais de vinte anos. Um dia, aos 58 anos, publiquei meu primeiro reunindo 100 artigos que produzi em mais de quarenta anos do exercício de jornalista. Participei de bienais de livro no Rio e em São Paulo. Lancei também em Salvador o " a mulher necessária". Depois publiquei " contra ataque do amor" coletânea de contos. Aprontei um terceiro " crônicas frágeis para mulheres fortes" que ainda não foi lançado. Livros são paixão. Não dá para explicar. Um elo íntimo de sentidos provocados entre quem escreve e cada leitor. Amo ler. Amo escrever. Amo a sensação de redescobrir novos sabores em textos antigos. Anteontem comecei a ler dois que ganhei das filhas da Vanderleia. um escrito pelo indigena Ailton Krenak e outro sobre o confinamento autoria do jornalista Guga Chacra. ambos são de 2020 e trazem percepção do que estamos vivendo. sou preguiçosa para desenvolver um romance. juntei mais de 300 poemas e nunca organizei para publicar. livros são tesouros. seus temas variados me fazem viajar muito. uma vez, lendo " os deuses da natureza" descobri que tinha visto o Deus das geleiras, sobre os Andes, décadas antes. quando releio a antologia completa de Garcia Lorca, em espanhol, revivo um tempo obscuro. muitos autores e autoras me instigam, me posicionam mudanç as de visão de mundo. agradeço a oportunidade de poder ler e reler. cada palavra ou frase tem vida própria dentro de mim, certamente... e me pergunto qual o segredo disso... Cida Torneros . .

Mi último tango

Celtic woman, Puro Amor (na foto estou ouvindo gaita galega em Santiago de Compostela 2009)tela

nós, as mulheres de origem celta, ( Lua é tataraneta de uma galega chamada Manuela) tal como em As brumas de Avalon, estamos atentas e em oração... nossa mãe Terra enfrenta um dos momentos desafiadores que testam sem precedentes a capacidade de superação e renascimento do planeta .. sabemos que há muitos riscos e muita dor nos caminhos escuros... pedimos Luz... clamamos pela luminosidade dos sorrisos puros infantis. São capazes de restabelecer a harmonia perdida .. senhora Deusa, mãe da Terra, assuma o controle, nos transporte para o plano superior Paz infinita...sem pandemias, sem fome... sem ódios ou guerras... um mundo só de puro Amor... Cida Torneros

Recomendo a leitura. Conflito no front. Livro do jornalista Guga Chacra

já admirava o jornalista Guga Chacra por participações em jornalismo televisivo. ganhei este livro de presente comecei a leitura e já recomendo. há um tom de grande sinceridade e diversificadas informações checadas o que corrobora a seriedade profissional do jovem jornalista especializado em geopolítica, esse desabafando durante confinamento que passou com sua família em Nova York. um relato extremamente critico aos posicionamentos do ex presidente Trump. Guga divide com os leitores sua ansiedade de curioso e estudioso de um mundo em pandemia e grande confusão. fala do oriente médio, sua aparente especialidade. o livro pequeno de leitura fácil e rápida tem caráter terapêutico. cita a família. gente como a gente. precisava nadar. chegou a ficar na banheira sonhando. livro traz alento e luz para repensarmos a possibilidade de novos confinamentos aos quais teremos que nos acostuar. o novo mundo é o do vírus... só a ciência pra nos ajudar . economia some diante da pandemia. Guga oferece um livro cujo maior mérito é. ser humano como jornalista do século XXI. Cida Torneros

A vida de Pepa Flores. Marisol

Marisol. Um dia vou mostrar esse vídeo pra minha neta Lua

Pepa Flores

Lá violetera

Mimosa e meu filme marcante. Lá violetera

Quando criança, fui com minha avó Carmen assistir no cine Rosário varias vezes o filme Lá violetera. tenho o dvd e de vez em quando ponho aqui para rever. sei de cor todas as cenas e músicas.uma história linda de anor que começa na noite de ano novo em 1900. o desastre do Titanic aparece no fim do filme porque a personagem protagonista vivida por Sara Montiel é uma sobrevivente da tragédia. o filme tem final feliz o beijo do casal reconciliado é mesmo emocionado e como não. chorar? eu adoro a música mimosa. sempre sonhei ser chamada assim im um dia. mimosa... vendedora de violetas. moça pobre e grande cantora.Sara estava no auge da carreira quando interpretou. lembrança da vó Carmen comigo assustindo o filme nos anos 50. Claro que ela sentia a presença dos seus vakores da Terra Natal e o prazer de me mostrar sua cultura. la violetera me marcou pra sempre. Cida Torneros

Mimosa

Rod Stewart - As Time Goes By (from One Night Only!) ft. Chrissie Hynde

O mundo parou , escreve o indio

"parei de andar mundo afora. Estou com a minha família na aldeia Krenak, no médio rio Doce. Há quase um mês nossa reserva está. Isolada. Quem estava ausente regressou , e sabemos bem qual é o risco de receber pessoas de fora. ... E o mundo parou... ganhei o livro do indígena Ailton Krenak. estou adorando. Cida Torneros

Play It again, Sam

Angela Davis no Brasil

Angela Davis

A Finlândia é logo ali

Eu tinha chegado num vôo pela manhã vinda de Santiago do Chile. Como a escola de samba Vila Isabel tinha sido a campeã com o enredo Soy loca por ti America, notícia dada pelo comandante da aeronave da Varig, marquei com uma amiga no petisco da Vila para tomar um chope e comemorar. Dali mesmo liguei para uma amiga de Sampa avisando que ia comprar ingressos no dia seguinte e assistirmos o desfile das campeãs. Entretanto, a vida é uma caixa de surpresas. Reparei dois jovens estrangeiros tentando falar com o garçom. Meti me na conversa. Fiz o papel de intérprete. Os rapazes eram da Finlândia. Estavam hospedados na casa de um amigo Brasileiro. Coincidentemente meus sobrinhos Ana e Pedro tinham um amigo emigrando para a Finlândia. Liguei. Eles moram pertinho. Vieram logo e trouxeram o tal amigo que vive até hoje naquele país. Acho que meus sobrinhos ainda mantém contato com os dois finlandeses via internet. De 2006 a 2021 muita coisa aconteceu. O Petisco fechou. Vila isabel anda triste. Os dois sobrinhos se formaram em comunicação. Ana e Pedro são meu orgulho. A Finlândia continua lá. O Brasil está sem carnaval. A pandemia nos assusta. Somos personagens de uma foto e seguimos crendo nós encontros que sequer foram combinados. Detalhe chato é que envelheci. Porém o melhor de tudo é seguirmos nos comunicando ainda que não seja em finlandês. Achei a foto hoje e me lembrei de tudo isso. Cida Torneros

Elas sou eu! A liberdade.

De repente um amigo antigo me pergunta se assisti a serie Borgen. Sim. Vi e gostei. Sobre a ascensão política de uma parlamentar que vira primeira ministra na Dinamarca. Acho que vou rever. Em tempos de Simone Tebet candidata a presidência do Congresso, dá pra sentir o grau de risco ou reação inconsciente no mundo masculino conservador essa coisa de sermos elas, pra mim e todas a torcidas de futebol do mundo temos os alicerces balançados. Elas sou eu. Sou todas que podem exercer sua liberdade de amar e procriar, de presidir, optando ou não por usar batons e frufrus. Nosso amor é e será sempre por parceiros de vida. Quando nos chega o tempo de entrar na " briga" porque iríamos fugir do ringue? Vamos enfrentar mais e mais tantos feninicidios e desigualdades sociais. Sim. Nada é facil mesmo. Elas somos nós. Cantando ou dirigindo empresas ou paises. Somos rainhas dos lares nossos e de toda a humanidade. Somos também primeiras ministras. Nossa corrida está apenas começando. Como é grande o meu Amor por você que me lê ou me entende. Se não me entende, pelo menos me atura ou me deseja como sua primeira ministra. Tudo bem se não quer eu compreendo. Não levo jeito, enfim. Sou apenas uma rapariga latino americana. Mas tenho um coração terno sem gravata. Uso babados, bolinhas, batons e de quebra sei ler e escrever.Ainda conquistei o direito de votar e ser votada. Amar e ser amada. Ah, sou premiada sendo uma segunda ministra sonhando com algum beijo na boca. Cida Torneros

Diva

É vida que segue senhores,!

Sim. A vida segue sempre em frente, a despeito das alegrias e tristezas, a vida tem sempre razão já cantava o poetinha. Enfrente de frente essa sucessão de atropelos ou surpresas que mudam o curso traçado ou sonhado por nós que no fundo não sabemos de nada do amanhã. sigamos.em frente.com esperança e fé. somos fantoches do destino. por Aqui, de passagem. tenhamos calma.respeito. amizade. carinho.muito. sempre. Cida Torneros

O mundo se torna Matriacardo a partir do século XXI

Alguém ainda tem dúvida? as fêmeas e suas congêneres disseram ao que vieram. Quer dizer, estão dizendo há quase dois séculos. Pagam preço alto, bem verdade. No mundo inteiro. porém aos poucos foram protagonizando campanhas e lutas sociais por igualdade de direitos, lugar de fala, respeito até da tradicional Igreja Católica cujo Papa atual de bobo não tem nada. Acaba de elevar a posição do sexo feminino no ritual das missas porque já se deu conta que a paetir do século XXI há uma reorganização de gêneros ness Terra feminina, onde feminicidio parece epidemia. Já não basta termos que enfrentar o corona? Pois bem, elas vieram pra ficar. São nossa esperança de mudanças verdadeiras na condução de um planeta menos desigual. Sigo adorando Freud. Um homem de visão que apesar de não ter previsto tal ascensão social do universo feminino, indicou os caminhos para derrubar os valores machistas que ora agonizam. O mundo dos batons e dos frufrus adentrou nos meios milit ares e políticos. Gosto de observar servar Nancy Pelozi nos seus 80 anos a cutucar o criminoso Trump, Nao somos adereços.Somos comandantes também. sabemos que ainda seremos mortas a facadas e por balas, ou palavreados chulos de machistas em decadência. Te mos esperança nos homens das novas gerações. Estes estão chegando como alquimistas para somar conosco uma nova ordem de hormônios livres para equilibrar as relações humanas nos séculos vindouros. Os feromonios buscam seu espaço sensato. Até lá, lutemos, sem desânimo ou desistência. Sigamos como tantas jovens negras que se organizaram para derrubar Trump Vamos mudar e salvar . o Brasil deste lugar vergonhoso em que se encontra hoje. Chegou nossa hora, definitivamente. igualdade de poder para todos os sexos. Não precisamos colecionar mulheres ou homens para exibir. Somos mais úteis PENSANDO E AGINDO. CIDA TORNEROS .

Mala entrana

Injuriado

Lá vida és bella