sábado, 26 de outubro de 2019

Cham Cham


Omara Portuondo


Morriñas


Eu que aprenda a levitar


Voa liberdade


Yo quiero ser marinero


O Chile se levanta


Tem coisas que a gente não tira do coração


Ontem ao luar


Si el amor llama a tu puerta


Amor como consumo


Com muito amor e carinho


Quase fui lhe procurar pra dizer que você é parte da minha história...


Eu era magrinha. Tinha um vestido de malha lilás.  Cabelos pretos e cacheados. Eram férias de julho. Atravessei a baía na barca da tarde. Caminhei até a sede daquela prefeitura. Busquei você que era funcionário lá, havia pouco tempo. Dentro de mim uma dor profunda. Perdera, naqueles dias, minha avó.  Sabia que ao ver você, teria consolo.  Nem sei dizer qual. Mas fui. Não me arrependi. Aquele companheiro de faculdade, um jovem simpático que sequer sabia da minha paixão de poeta suburbana,  seria um apoio em momento decisivo. Através dos seus olhos, ainda que rapidamente, compreendi que precisava seguir a vida. 
Quase lhe disse que o amava. Porém não tive coragem. Me sentia pertencente a um mundo muito distante do seu. 
Voltei de lá com a certeza do quanto seríamos partes um da história do outro por muitos anos, ou melhor, pela vida inteira, mesmo que nunca vivêssemos juntos.
Foi o que aconteceu. Nessas tantas décadas,  Quase fui lhe procurar, dezenas de vezes, perdi e encontrei sua direção,  inúmeras vezes. Mas o destino o trazia de volta. Ali estava você.  Numa festa política.  Num ensaio de escola de samba. Na ante sala do meu trabalho quase 20 anos depois. E, num dia em que digitei seu nome na busca da internet. Apareceu o número de um telefone. Disquei. Você atendeu.  Eu me emocionei. Afinal, como era tradição,  sua presença no momento em que eu estava prestes a perder minha mãe,  você,  novamente estava próximo.  Ironia do destino.
Ironia ou capricho, lado bom e angelical que me protege das dores fortes. 
Nada posso oferecer em troca, acho.
Mas creio que nada acontece por acaso. Em 50 anos, há um laço de ternura entre nós.  De bem-querer. Respeito. Carinho.
Seguimos enfrentando nossos caminhos pessoais. 
Quase fui lhe procurar muitas vezes para dizer muito obrigada.  Aliás,  fui em pensamento, sempre. Vou no meio das tardes ou das madrugadas. Apareço em instantes breves. Ofereço- lhe orações.  Alegro- me com suas viagens. Conforto- me com as lembranças das nossas juventudes e sobrevivo com a esperança de ter sua amizade ad eternum.  Você me ampara, mesmo sem saber disso. Sorte minha!
Cida Torneros 

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Uma joia musical


Con la misma piedra


Bob Fernandes


Feelings


Ato de lideranças indígenas em Berlim


O que o tempo não apagou


Em 1968 eu era uma jovem sonhadora e lutadora.  Suburbana. Carioca. Alegre mas antenada com as agruras da ditadura militar.  Namorava alguém que foi sumido pelo regime. O tempo devia ter apagado. Mas não apagou. Revivo tudo agora 50 e poucos anos depois.  Vejo que o Brasil tem jovens sonhadores e lutadores ainda.
Torço por eles. Torço por seus amores verdadeiros.  Creio nos ciclos que se sucedem. 
O que o tempo pode apagar só Deus sabe. 
Ele saberá.  Creio. Oro. Tenho fé. 
Cida Torneros 

Tudo que sonhei


quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Martinha - Alô (Emoções Sertanejas)

Café Filosófico: Eu que aprenda a levantar – Olgária Matos

JOSÉ AUGUSTO - DE QUE VALE TER TUDO NA VIDA & EU QUERO APENAS CARINHO 20...

Luzes da Ribalta


Quiereme


Niña Pastori


Seguiré mi camino - Julio Iglesias

Voy a perder la cabeza por tu amor











Querer y perder


quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Marielle presente!


Paris, Paris!












Quero te sentir em meus braços outravez


Amore scusami


El valor que no se vê


Angels


Recordações


Everything


Tu me elevas


0 poder do Amor

 

terça-feira, 22 de outubro de 2019

Nuestro hogar


Nova era no Japão


Naruhito sobe ao trono no Japão


Celine Dion e Bee Gees


Triste pena


Charles Chaplin e Pablo Neruda


Luzes da Ribalta


É o amor


Casablanca


Vida de mi vida


Vous qui passez sans me voir


Ornela Vanoni canta Roberto Carlos


Miguel Bosé


Quem vai te falar quando for tarde demais?


Olha!


My love


Se você me deixar agora! Basta saber que estamos vivos!


Quando a gente deixa pra trás 
Um amor da juventude 
É como se a vida tivesse pelo menos 50 anos
Pela frente para esquecer ou voltar...
Se isso acontece, de um jeito ou de outro,
É um prêmio...
Esquecer significa superar...
Voltar a sentir o mesmo sentimento dos 20 anos
Pode ser uma agoniada surpresa! 
Como? Ainda salta meu coração por aquela criatura
Que devia ter ficado no passado distante?
Difícil rever os sentidos antes adormecidos.
Estranho aceitar que o tempo não apagou tudo...
Algum arrepio ainda teima em chegar sorrateiro.
Questão de encarar que a mocidade não foi embora de vez...
Há no coração um espaço guardado para reviver sonhos de esperança em futuro que nem veio...
O mistério do reencontro é desafio da sobrevivência das emoções...
Vamos em frente. Podemos fugir também...
Para que reabrir histórias que já deviam ter terminado oficialmente?
Melhor segurar impulsos. 
Almas se buscam mas os corpos se afastam novamente...
Acima de tudo, está o grande medo do quanto a vida poderia mudar repentinamente...
Não há mais tempo? Será que teríamos forças para lutar por amor renascido 50 anos depois?
Adolescência fora de época.  Coisa louca! 
Não me deixe imaginar o inimaginável. 
O que passou! PASSOU!
Aquele casalzinho passeando de mãos dadas na beira da praia já não existe mais. O que persiste é a nostalgia de um momento em que nossas vidas eram promessa de felicidade. Hoje, somos a lembrança de dois namorados que nunca se casaram...nunca construíram família.  Nunca realizaram os tais sonhos em comum. 
Aliás,  os sonhos agora são outros. São as sensações de termos sobrevivido aos contratempos da vida ao termos buscado outras felicidades em outras companhias.
O tempo nos engoliu. O reencontro nada é além de luzes da ribalta. 
Bom é saber que não nos esquecemos do quanto um dia achamos que poderíamos ser felizes juntos ou separados. 
Digamos. Sim. Sigamos.  Sem maiores riscos. Com sentimentos contidos. Com gratidão pelo bem que nos desejamos.
Só isso já basta. Basta sabermos que estamos vivos!
Cida Torneros 

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Vazamento de Petróleo é Chernobil brasileita


Alguém como você


Saudades de Leonel Brizola


Boa Noite 247 (21.10.19) - Caos no Chile: 11 mortos e Exército nas ruas

Amor perfecto


Ângela Davis em São Paulo


Un viejo amor


Em Nova York. O tema é o Brasil.


domingo, 20 de outubro de 2019

Como a abelha necessita de uma flor


Gal Costa






Orquestra Buena Vista Social Clube


Tal como éramos


Monumentos, lugares, paisagens... no mundo








Isso é amor ou parece que é...


O que deva ser o amor é tema de literatura ou cinema... pode ser a vida de cada um no dia a dia. Ou talvez seja a doação através da caridade aos seres necessitados. Amor deveria ser um dom globalizado não atrelado ao mundo consumista , afinal amar é de graça.  Em princípio nada tem a ver com anéis de noivado ou cerimônias de casamento. Ama-se além disso. Muito além.  Não implica em raça ou credo. Sequer se baseia na razão ou na consciência.  O amor ultrapassa o tempo e se perpetua após a perda de hormônios.  Não se atrela somente aos desejos físicos.  Há amores intensos sem sexualidade. Os grandes amores podem existir entre mães e filhos, país e filhos,  amigos, irmãos,  estranhos e até entre seres humanos e animais de estimação.  Há muitos amores para serem vivenciados ou descobertos.  O amor a Deus para os que acreditam. O amor à vida é a si mesmo tem um componente de auto estima que impulsiona a sobrevivência. 
Isto é amor ou parece ser gera uma eterna questão jamais solucionada. Amores novos são uma boa surpresa. Amores antigos trazem saudades ou lamentos ou até alívio.
Amar é um exercício desafiador. Sempre!
Cida Torneros

Mulheres, uni-vós e salvai o Mundo!









Pensando em você


Cuando pienso em tí


Robert Redford. 2019